• Artigos: 0
  • Total: 0,00 €

Ampliar a imagem


Ébano

Ryszard Kapuscinski 

Colecção: Dois Mundos

Editor: Livros do Brasil

Ano de edição: 2017

Tipo de artigo: Livro

ISBN: 9789723830279

C.I.: 00000289527

Número de páginas: 328

Edição: 1

Local edição: Porto

Idioma: Português

Tradutor: Guimarães, Maria Joana

Encadernação: Brochado

Em stock, enviamos para o correio, até 24 horas.
(Salvo ruptura de stock)

Preço: 17,70 €

Preço: 15,93 €

Top Leitura

adicionar ao cesto

Comente este livro

Adicione à sua Lista de LeituraAdicione à sua Lista de Leitura

 Partilhar: 

O livro por dentro

contra capa

Sinopse

Em 1957, Ryszard Kapuscinski aterrou pela primeira vez em África, enviado como correspondente de um jornal polaco, com o intuito de testemunhar o início do fim da era da colonização. Nos quarenta anos que se seguiram, aproveitou todas as oportunidades para lá voltar.

Dos primeiros dias da independência do Gana ao genocídio Étnico no Ruanda, da travessia do deserto do Sara na companhia de tribos nómadas ao domicílio nos mais pobres bairros de lata da Nigéria, Kapuscinski embrenhou-se no continente, nas suas histórias, nas histórias dos seus povos.

Este volume é o resultado de um espantoso trabalho jornalístico, alicerçado numa observação crítica dos acontecimentos, numa análise profunda dos seus impactos e numa aproximação excecional, de grande respeito e genuína curiosidade, a cada uma das pessoas que encontrou.

Obra de referência deste que é por muitos considerado o melhor repórter do século XX, Ébano é um documento precioso para a compreensão da história africana do último meio século e dos desafios que hoje se impõem.

Sobre o Autor

Ryszard Kapuscinski nasceu em 1932 na cidade polaca de Pinsk, hoje situada na Bielorrússia e era licenciado em História. Iniciou a sua actividade de jornalista em 1955, escrevendo reportagens sobre a reconstrução da Polónia. Ainda nos anos 50, foi pela primeira vez enviado como correspondente para a Ásia (Índia, Paquistão, Afeganistão) e para o Médio Oriente. Mais tarde foi correspondente em África e na América Latina, estando presente em países como Etiópia, Gana, Ruanda e Uganda, cujos movimentos nacionalistas foram retratados através da sua visão crítica e simultaneamente imparcial. Durante a sua carreira presenciou 27 revoluções, viveu 12 frentes de guerra e foi 4 vezes condenado a ser fuzilado.

Considerado um dos grandes mestres do jornalismo moderno, Kapuscinski foi eleito em 1999 o melhor jornalista polaco do século XX e distinguido, em 2003, com o Prémio Príncipe das Astúrias de Comunicação e Humanidades.

É o autor polaco mais traduzido e publicado no estrangeiro. Entre os seus livros mais conhecidos destacam-se "Mais um Dia de Vida - Angola 1975" (Campo das Letras, 1998), "Ébano - Febre Africana" (Campo das Letras, 2001), "O Imperador" (Campo das Letras, 2004), "O Império" (Campo das Letras, 2005) e "O Xá dos Xás" (sobre o último Xá do Irão).
Faleceu em Varsóvia, aos 74 anos, em consequência de doença grave.

Últimos artigos visualizados